domingo, 3 de maio de 2015

Amido de milho para recuperar o ouro dos rejeitos de filões

Amido de milho para recuperar ouro e evitar o uso de cianeto é muito bom para o meio ambiente, mas só sera usado nos garimpos apos serem provadas as vantagens financeiras

No processo de mineração de ouro, o metal precioso é geralmente extraído de minério de baixo teor em uma técnica conhecida como cianetação de ouro. Como o próprio nome sugere, o processo utiliza cianeto altamente venenoso, algum dos quais acaba de entrar no ambiente em rejeitos das minas. Isso não é tão bom.
Cientistas da Northwestern University de Illinois, no entanto, anunciaram recentemente a descoberta de um novo processo de recuperação de ouro que é baseada em um componente não tóxico de amido de milho.
O processo foi descoberto por acaso, quando o pós-bolseiro Zhichang Liu foi tentar criar uma pequena estrutura cúbica, que poderia ser utilizada para armazenar gases e moléculas. Misturou duas soluções em conjunto à temperatura ambiente - uma solução continha um sal de ouro dissolvido chamada Aurate, enquanto o outro continha alfa-ciclodextrina, que é um fragmento de amido de milho constituído por seis unidades de glucose.
Para sua surpresa, menos de um minuto depois as soluções foram misturados em conjunto, o teor de ouro formado em agulhas sólidos. Estas agulhas foram por sua vez, cada uma composto por um conjunto de cerca de 4.000 fios de ouro minúsculas, cada fio medindo 1,3 nanómetros de diâmetro.

Embora as agulhas forem muito pequeno, elas podiam ser colhidas a partir do resto do líquido.
O processo barato cria um relativamente sal inócuo de metal alcalino como um subproduto, e supostamente extrai ouro de forma mais eficaz do que os métodos já existentes com cianeto. Além disso, poderia também ser utilizado para recuperar o ouro a partir de resíduos de electrónica de consumo em lixeiras..
"Alfa-ciclodextrina, é o vencedor da medalha de ouro", disse Sir Fraser Stoddart, o professor de química que liderou a pesquisa. "Zhichang tropeçou em um pedaço de magia para isolar ouro de qualquer coisa e de uma maneira ecológica."

Um artigo sobre a pesquisa foi publicada hoje na revista Nature Communications.
Fonte: Universidade Northwestern university

Uma empresa chinesa de nome Sandíoss já esta vendendo o produto em Itaituba, capital dos garimpos brasileiros; segundo o seu representante na cidade que se comprometeu a fazer testes reais nos garimpo, o custo final não será superior ao custo do cianeto, pois a venda do cianeto sendo proibida, a não ser com licenças do exercito e após obtenção de LO específica, o preço deste veneno inflacionou nos circuítos comerciais ilegais.

O JO ira acompanhar os testes da Sandoss e medir a recuperação com o componente de amido de milho; ainda há muito que testar para definir se esse produto pode rivalizar com o cianeto tanto no quesito recuperação, como no quesito custo . Pois para os garimpeiros que não se preocupam nem com o possível dano ao meio ambiente e nem com possível arresto de material proibido, é o custo final que ira contar. Se eles encontrarem vantagens, irão comprar. Senão continuarão com o cianeto ilegal

1 comentários:

Tenho interesse em comprar o amido de milho.
Preciso de um contato em Itaituba, Para.
54 996338924

Postar um comentário